E3 2016 – Conferência PC Gaming Show

Avatar

Uma das conferências menos visadas da E3, é sem dúvida a PC Gaming – Uma conferencia que saiu da parceria da revista / site PC Gamer, juntamente com o poderio da AMD.

Essa conferência tem como foco, não só mostrar as novas tendências do mercado dos jogos de PC, mas abrir um grande espaço para os desenvolvedores indies, mostrando toda a possibilidade que os PCs geram para quem sonha em interar a indústria gamer um dia.

A conferência fazia transições de apresentações, com um talk show com alguns desenvolvedores, que comentavam sobre seus projetos, enquanto um gameplay ou trailer ia rolando.

O primeiro jogo a figurar a longa conferência, foi Dawn of War III, jogo ao estilo MOBA da série Warhammer 40k.
O game ainda está em desenvolvimento, mas segundo um dos desenvolvedores da empresa, uma das grandes novidades desse jogo, são novos recursos em seu gameplay.

A história também terá uma narrativa em três pontos de vista de diferentes personagens, ampliando ainda mais o enredo, e as reviravoltas na trama.

Depois, tivemos a rápida apresentação do game Oxygen not Included, dos mesmos criadores de Don’t Starved.

Uma das grandes apresentações dessa conferência, foi sobre o jogo Arc: Survival Evolved. Além de trailers e apresentação de outras novidades, os desenvolvedores ainda revelaram que estão olhando e muito para a comunidade modder. Eles então, anunciaram a primeira expansão criada à partir dos mods feitos no game com Arc: Primal Survival, onde poderemos encarnar na pele de predadores perigosos, ou até mesmo, ser uma simples formiga.

Outra novidade que o game traz, é na ampliação da verticalidade, ou seja, poderemos agora ter mais opções de montarias aéreas, além de escalar árvores e montanhas.

Em seguida, tivemos um grande apanhado com os trailes de The Surge – um game com temática futurista que bebe muito da fonte de combate de Dark Souls.

Então, Cliff Bleszinski (um dos criadores da franquia Gears of War), subiu ao palco para anunciar seu novo jogo, chamado Law Breakers – Um jogo de FPS competitivo, bem ao estilo Overwatch.

Então tivemos uma apresentação com a CEO da AMD, Lisa T. Su, apresentando detalhes sobre a linha Polaris de GPUs da AMD. Segundo ela, “esta é a melhor experiência para os jogadores”.

Eles também anunciaram as linhas Radeon 460 (que possui um foco maior para ESports), e também a Radeon 470, quem já possui nativamente uma taxa de framerate de 60fps, além de compatibilidade com o Ultra HD.

Houve também algumas demonstrações de uma linha de Realidade Virtual móvel, em parceria com a Alienware – onde você pode se conectar à experiência, em qualquer lugar, dando assim, maior liberdade, e criando uma possível tendência de mercado.

Após essa apresentação técnica, mais um trailer foi revelado. Serious Sam VR: The Last Hope, traz todo o humor de Sam diretamente para a sua cara, em uma experiência única. O game ainda não possui data de lançamento confirmada.

Ainda no palco, Lisa anunciou a nova linha de processadores Zen, trazendo muitas novidades aos entusiastas que desejam uma alta performance em seus PCs.

E um dos pontos altos da conferência, foi o trailer/gameplay revelado de Vampyr, novo projeto da mesma equipe do sucesso “Life is Strange”. O game utiliza como motor gráfico, a Unreal Engine 4, e segundo informações, é baseado no surto de gripe espanhola no início do século.

Vampyr não possui data de lançamento.

Foi então a vez da empresa Tripwire subir ao palco para anunciar as novidades de Killing Floor 2. Dentre elas, novas armas, novos cenários (esses, baseados nos cenários que jogadores criaram, e receberam um polimento e foram inseridos ao game). O pacote de conteúdo chamado Bulls Eye, já está disponível para quem quiser conferir.

Uma coisa interessante, é que a empresa irá disponibilizar pra quem quiser conferir o jogo, uma versão totalmente gratuita (com validade, obviamente), neste final de semana.

Killing Floor também recebeu uma nova versão exclusiva para os sistemas VR da Oculus, chamada Incursion, que foca menos na ação, e mais na tensão do jogador.

Durante essa mesma apresentação, a representante da Oculus anunciou que Super Hot – jogo de tiro onde seus movimento é que ditam o trajeto do game – será compatível com os sistemas de realidade virtual, tornando a experiência muito mais ampla.

Tivemos também o anúncio do novo game da Obsidian, chamado Tyranny – que parece ser um game que bebe muito da fonte de Diablo e Warcraft, com visão isométrica, e gameplay tático.

Também fomos apresentados ao mais novo projeto da equipe de “Layers of Fear”, chamado “Observer”, que traz um conceito bastante interessante que mescla um mundo futurista onde pessoas poderão hackear a mente de outras, tornando-as, os Observers.
E isso, acarretará não só na descoberta de segredos, mas trará à tona, todos os medos da pessoa que está sendo controlada.

Dropzone foi o próximo game a figurar na conferência, trazendo uma mescla do Real Time Shooter clássico, com alguns elementos de MOBA.

ARMA III trouxe seu novo pacote de conteúdos, chamado APEX. Com ele, novos mapas foram agregados ao jogo, além de 30 novos tipos de armas (que mesclam modelos antigos e atuais).
ARMA é um dos FPS competitivos mais hardcores que existem, mas por aqui possui uma comunidade bastante restrita.

Depois tivemos alguns novos anúncios, como “The Turing Test”, que parece uma mescla de FPS com Portal:

Também vimos Overland, um game interessante, que parece simular uma viagem pelos EUA, mas traz um sistema de gameplay tático, com batalhas que lembram games como Final Fantasy Tactics.

Um dos mais promissores projetos visto nesta conferência, foi Dual Universe, um game que
permite não só a construção de moradias, mas tem como premissa a exploração espacial, onde você pode construir desde a sua própria nave, até mesmo uma estação espacial inteira.

O jogo quer trazer a experiência de reconstrução da civilização humana em outros planetas, em um sandbox de exploração – talvez, um candidato à concorrente de No Man Skyes.

Uma das informações divulgadas, é que o game trabalhará com um sistema de servidor único, onde todos os jogadores partilharão do mesmo universo.

A 343 Industries também deu as caras na conferências, trazendo mais detalhes sobre Halo Wars 2. Dentre as novidades, está o lançamento simultâneo com o Xbox One, além do game trazer um combate em tempo real entre plataformas.

O jogo também teve um gameplay de fundo revelado, mostrando toda a qualidade gráfica e ágil.

Halo Wars é a franquia de estratégia em tempo real mais vendida na plataforma console. O segundo episódio chega em 21 de Fevereiro de 2017.
ttps://youtu.be/0r378v1lhCw

Tivemos também o anúncio de Day of Infamy – jogo de tiro focado em acontecimentos que marcaram a Segunda Guerra Mundial – dos mesmos criadores de Insurgency. O game chegará ao mercado em julho deste ano.

E chegando para bater de frende com Overwatch, tivemos mais um MOBA de tiro, chamado Mirage: Arcane Warfare.
O grande diferencial desse game é que, apesar de se tratar de um MOBA de tiro, sua temática traz a fantasia medieval para as arenas de combate, com muitos feitiços, tiros de arco e proximidade de combate.

O jogo chegará no Outono (nos EUA) deste ano.

Mages of Mystralia foi um game que chamou bastante a atenção, por ser claramente inspirado em The Legend of Zelda. O jogo traz um mundo fantasioso, onde você deve craftar elementos para criar novas magias.
Não foi divulgado data de lançamento.

E uma nova modalidade foi inserida no Free to Play Warframe. Agora, o jogo traz um modo competitivo esportivo, onde nosso time deverá fazer gol no time adversário, lembrando bastante Rocket League, porém com soldados encouraçados.
O novo modo chama-se Lunaro, e estará disponível em breve para PC, PS4 e Xbox One.

E o último game mostrado na conferência, foi o aguardado Deus Ex: Mankind Divided, onde um novo gameplay foi divulgado, mostrando um pouco mais da ação do game.

E encerrando a conferência, tivemos a presença do criador do game original Deus Ex, Warren Spector, que falou um pouco sobre a sua “singela” contribuição de 30 anos ao mundo dos games, e enalteceu o PC, como uma grande plataforma para jogos.

Warren fez questão de ressaltar que, independente da plataforma escolhida, todo desenvolvedor necessita de um trabalho feito nos PCs para dar vida à sua criação.

Pra quem quiser conferir a mini-palestra, o vídeo (em inglês) pode ser conferido logo abaixo: