5 games que são cópias de Mario Kart

Avatar

Salve salve Nerds

Hoje, vamos apresentar algumas tentativas (em grande parte, falhas) de repetir o sucesso de um dos games de corrida mais carismático já feito. Não, não estamos falando de Need for Speed (até por que tu já leu o título, nê?!), mas sim, Mario Kart.

Então vamos aos…

“5 games que são cópias de Mario Kart”

Vamos lá?!

ChavesKart

#1 – El Chavo Kart –
Chaves Kart veio apenas  com a ideia de ser um game divertido do Chaves – coisa que, não se sabe por que, não existe até hoje (um plataforma, ou adventure). O game não possui enredo, e pode-se dizer que é quase um caça-níquéis, devido ao imenso sucesso do personagem criado por Roberto Gomes Bolaños.

Todos os personagens jogáveis são focados na série animada (por isso não temos a adição da Chiquinha e da Patty, por exemplo), e uma versão para Android também foi lançada, posteriormente ao lançamento do PS3, PS Vita e Xbox 360. A versão nacional do game, traz as dublagens e legendas completamente em português, com os dubladores do desenho.

Não há muito o que explanar sobre esse jogo, mas quem já é familiarizado com seu “mentor”, vai sacar que as mecânicas são muito semelhantes, como o fato de haver itens que atrapalham no andamento dos demais corredores durante o percurso.

DiddysKR

#2 – Diddy’s Kong Racing –
O segundo game da lista, é uma premiada cópia de Mario Kart. Isso por que, nessa época, todos queriam estrelar seu próprio game de corrida. E por que não fazer com um dos personagens mais famosos da Rareware?!

Diddy’s Kong Racing é o típico game “estou com preguiça de bolar uma aventura para esse personagem, e vou fazer um game para destruir amizades”, só que com enredo, que é o seguinte:
“uma pacífica ilha chamada Timber’s Island foi invadida por um porco malvado chamado Wizpig, e os moradores locais, acabam o desafiando para uma corrida. Drumstick, o melhor corredor da ilha, perde o desafio e o vilão acaba o transformando em um sapo. Desde então, os moradores desfiam o vilão, que acaba sendo derrotado, só que ao retornar para seu planeta, ainda desafia os nativos para mais quatro corridas em Future Fun Land, até o seu desafio final.

Não é lá grandes coisas, mas ao menos, tem um plano de fundo. O que até o próprio Mario Kart não tem!

O game ainda conta com 10 personagens (sendo 2, desbloqueáveis), e uma vasta quantidade de pistas e modelos de veículos. O que inovou bastante na época, e pode-se dizer que ajudou a moldar os conceitos que viriam em futuros games da franquia Mario Kart.

WoodysWR

#3 – Woody’s Woodpeker Racing – 

Outro game que ilustra nossa lista, é essa pérola lançada para PSOne, PC e Game Boy Advanced. A Konami um dia, queria “inovar”, e lançar um game de kart também, com personagens carismáticos, e que de algum modo tivessem impacto em algum momento da vida do jogador, então alguém pensou: Vamos pôr o Pica-Pau e sua turma num game de corrida e… BUM! Nasceu “Woody’s Woodpecker Racing”.

Assim como os games anteriores, a mecânica de jogo é a mesma, seguindo a receita de carros excêntricos, itens para retardar os personagens, e assim como Mario Kart, o game não possui enredo.

Tudo o que temos são modos distintos de jogo, como :
Search Mode – Onde temos que procurar por três personagens (Meany Ranheta, Dooley e Spacemouse), e 4 corridas ao redor do mundo.

World Championship Mode – O modo clássico de games de corrida: corra, vença com a melhor colocação e termine o game.

Career Mode Against Time – Como sugere o nome, esse modo procura explorar suas habilidades em terminar uma corrida com o menor tempo possível.

Solo Mode – Basicamente, o modo arcade do jogo

O game ainda traz pistas ao redor do mundo, como Itália, Japão e Brasil, além de uma pista especial em Las Vegas.

CrashTR

#4 – Crash Team Racing –
É claro que vendo o sucesso da Nintendo, a Sony também queria que seu principal mascote tivesse um game voltado para esse tipo. E no auge de seu sucesso, Crash Bandicoot também acabou ganhando uma versão automobilística.

O game, possuía um enredo pequeno, no qual o vilão Nitrous Oxide acaba sabendo de uma grande corrida organizada na ilha Wumpa, então, o vilão decide por formular um jogo com os competidores, chamando-o de “Sobrevivência dos mais rápidos“. As regras do jogo, eram as seguintes: caso os competidores ganhassem, Oxide nunca mais importunaria o povo da Terra, mas caso perdesse, ele transformaria a Terra num estacionamento gigante, e todos os seus habitantes seriam seus escravos.

O enredo, é bem superficial e bobo, mas o game trazia alguns secrets, como a coleta de itens especiais que liberavam novas pistas, e novos personagens, além de trazer os mesmos modos de corrida que Woody’s Woodpeker Racing, além de adicionar o modo Versus (em split-screen, um contra o outro) e o clássico Battle, onde os jogadores são colocados em uma pista-arena, para se digladiarem.

SonicSegaASR
#5 -Sonic &  SEGA Allstar Racing 

Hoje em dia, Sonic e Mario vivem uma relação muito pacífica, e parece que ressentimentos do passado não afetaram a amizade que um tem pelo outro.
Quem viveu os anos 90, sabe da grande rixa que havia entre SEGA e Nintendo, mas isso é assunto para outro texto…

O que ocorre é que, para um personagem cujo o principal aspecto é correr em alta velocidade, um game de corrida de carros não faria muito sentido. Então, a SEGA (malandra do jeito que é (lue lue jp jp)) resolveu apostar suas fichas em personagens carismáticos de suas principais franquias.

Além de Sonic, Knuckles, Tails e companhia, personagens como Alex Kidd (que nunca mais havia aparecido em nada!) deram as caras, e aderiram ao automobilismo.
E não somente isso, mas a versão de Xbox 360, conta ainda com a participação de Banjo-Kazooie, e os famigerados Miis, na versão de Nintendo Wii.

O game conta com 22 pistas, cada uma, mostrando um tema de cada um dos personagens jogáveis, além de contar com seis copas-racing.

O game trabalha com sistema de retardo de oponentes, assim como todos os outros games citados, e não trouxe nenhum tipo de inovação no seu sistema de gameplay. Os gráficos são bonitos, e conseguem passar a sensação de velocidade, graças aos ótimos efeitos visuais.

Com certeza, todos os games aqui apresentados foram de grande ajuda, para mostrar como Mario Kart se tornaria o que é hoje, com várias opções de carros, e veículos diversos. Nenhum deles perpetuou tanto quanto o seu “pai”, mas cada um colaborou de alguma forma.
O que podemos interpretar como uma grande pena, já que vários personagens que poderiam ter games sensacionais hoje em dia – tamanha a capacidade de gerar bons games plataforma – acabaram estacionando seu carrinho em algum ponto da história do entretenimento eletrônico. Crash, Alex Kidd, e até mesmo Chaves, poderia ter games que fizessem com que a molecada sinta um pouco daquilo que sentimos quando crianças, desenvolvendo um carinho pelo personagem, por sua história, e pelo quanto ela pode ser divertida de se jogar.

Então é isso minha gente, espero que tenham gostado do “5 alguma coisa” dessa semana. Nos vemos semana que vêm com mais um episódio.

Uma semana de campeão pra vocês!