Nintendo e Nuuvem fecham parceria para venda de jogos no Brasil

Avatar

A partir desta terça-feira (19), os fãs da Nintendo no Brasil poderão utilizar o serviço da Nuuvem – uma das principais plataformas de distribuição de jogos digitais – para adquirirem seus jogos com diversas vantagens, como preços parcelados e cashback.

O catálogo contará inicialmente com mais de 50 títulos para Nintendo Switch e Nintendo 3DS – que serão expandidos no futuro -, além de assinaturas do Nintendo Switch Online e Cartões de Presente Digitais com valores já convertidos para o real.

Outra grande vantagem que o serviço oferece é a possibilidade de pagamento e parcelamento em até 10 vezes no cartão de crédito, ou via Boleto Expresso, sendo este, liberado a partir de uma hora da realização da compra. E o melhor: todas as transações são feitas em real.

A Nuuvem também está dando um cupom de desconto exclusivo de R$30 para compras acima de R$200. Basta usar o código NINTENDONANUUVEM ao efetuar a compra, e o desconto será aplicado.

Além disso, todas as compras efetuadas pelo sistema Nuuvem conta com o chamado Drops, um programa de cashback em que o usuário recebe uma quantia de volta e cria um banco de créditos, que podem ser usados de maneira ilimitada para adquirir descontos ou até mesmo resgatar jogos “de graça”.

Saímos do Brasil para o mundo. Estamos hoje em 117 países com presença significativa na América Latina, além de Estados Unidos e Canadá. Falamos três línguas e vendemos em 8 moedas diferentes, com mais de 35 métodos de pagamento”, comenta Fernando Campos, CEO e Co-founder da Nuuvem.

Já no lançamento, os principais títulos da Nintendo estão disponíveis na Nuuvem:

  • The Legend of Zelda™: Breath of the Wild – R$250,79
  • Mario Kart™ 8 Deluxe – R$250,79
  • Super Smash Bros.™ Ultimate – R$250,79
  • Pokémon Sword & Pokémon Shield – R$250,79 (cada título)
  • Super Mario™ Odyssey – R$250,79
  • Pokémon: Let’s Go, Pikachu! & Pokémon: Let’s Go, Eevee! – R$250,79 (cada título)
  • Animal Crossing™: New Horizons – R$250,79

Fonte: Project N