NBA 2K vem para superar o NBA Live mais uma vez

Avatar

Se no futebol americano a EA Sports não tem nenhum concorrente com a série Madden – por conta de contrato de exclusividade com a NFL – e no futebol o FIFA predomina sobre o Pro Evolution Soccer para a maioria dos jogadores, quando o assunto é basquete a conversa muda totalmente. Após um ano sabático, a EA resolveu retomar a série NBA Live, mas as primeiras impressões dão conta de que será mais um show do NBA 2K para cima dos rivais.

A série NBA Live precisa retomar a confiança dos jogadores. Nos últimos oito anos, o game foi lançado apenas em quatro oportunidades – enquanto a 2K marcou presença, sem falta, durante todos esses anos. E dá para entender o motivo da EA Sports ter deixado de lado a franquia: a recepção da crítica foi terrível em cima dos jogos lançados nesse período.

As últimas três edições do NBA Live, que foram lançados em 2013, 2014 e 2015, receberam notas de 43, 59 e 59, respectivamente, no site Metacritic. Enquanto isso, os jogos de basquete da 2K não receberam nenhuma nota inferior a 82. É muita diferença.

Isso também se refletiu nas vendas. Nos Estados Unidos, que é o principal mercado do basquete mundial, há dois anos o game NBA Live 16 vendeu apenas oito mil cópias. Um número insignificante perto da marca que a 2K conseguiu na edição daquele ano, quando vendeu mais de um milhão de cópias. Com esse histórico recente tão ruim, a NBA Live terá a missão de competir, mais uma vez, contra uma referência no assunto simulação esportiva.

Para a nova edição, a Eletronic Arts pretende fazer mais barulho e o NBA Live 18 vem aparecendo de forma mais ativa antes do lançamento. Presente na conferência E3, os primeiros gameplays já foram divulgados – mas não parecem nada animadores, como no vídeo abaixo.

Os gráficos são muito bons, e dá para compara-los muito bem com o da 2K — principalmente quanto à face dos jogadores. Mas a jogabilidade

ainda parece bem atrasada em relação aos concorrentes. A mecânica dos jogadores não é nada fiel e o ritmo de jogo é muito mais rápido se comparado ao que acontece na vida real.

Enquanto a crítica não é boa, do outro lado os rivais estão numa dinastia. E com o fato da EA não ter lançado no ano passado, eles vão ter que correr atrás de dois ciclos”, afirma Brian Mazique em artigo no site Forbes.

Não é só dentro do jogo que o NBA 2K domina os rivais. O modo “My Player” da última edição foi um grande sucesso e recebeu ótimas críticas dos especialistas. “É uma grande jornada. Junta muito do que um jogador precisa passar fora das quadras, e você realmente molda a sua personalidade”, segundo review do site Kotaku. No modo carreira, é possível personalizar tudo jogador, incluindo sua personalidade, estilo fora das quadras e outros pormenores que tornam a história muito interessante.

Esqueça aquele modo carreira tradicional dos games de esporte dos últimos anos. No NBA 2K17, a vida social do jogador é muito ativa. É possível atender a eventos em prol do time, ou se divertir em outros esportes, como o poker, que é uma modalidade que atrai a atenção dos atletas na vida real, entre eles estão Tony Parker e Russell Westbrook.

Para a nova edição do NBA2K, a produtora já confirmou que vai incrementar ainda mais a vida externa do jogador.

O NBA Live 18 terá um modo história, mas vai ser difícil competir contra a 2K. Aliás, a EA Sports não tem muita tradição e prática no assunto, visto que o Madden só terá esse modo na nova edição (18) e no Fifa isso começou no ano passado.

Ainda é cedo, e só dá para cravar quando os jogos saírem oficialmente — NBA Live 18 ainda não tem data exata, enquanto o NBA 2K18 está programado para 19 de setembro. No entanto, ao que tudo indica, vai ser mais uma vitória da 2K sobre os concorrentes.