Rare não descarta trabalhar seus jogos com outros estúdios

Avatar

Apesar de ter criado verdadeiras obras-primas no passado, os tempos áureos da Rare já passaram.
A empresa que fez história com Battletoads, “criou” a série Donkey Kong Country no estilo que é utilizado pela Nintendo até hoje, e revolucionou os jogos de plataforma no Nintendo 64, já não é mais a mesma.

Mas sempre há uma luz de esperança em um túnel sombrio. Craig Duncan, chefe da Rare, disse em uma recente entrevista a IGN que não descartaria a ideia de emprestar suas IPs para que outros estúdios possam trabalhar em suas franquias, como foi o caso de Killer Instinct, que foi produzido em parceria entre Rare, Double Helix Games e Iron Galaxy Studios.

Segundo Craig, muitos fãs ainda pedem para que a empresa desenvolva jogos de suas franquias clássicas.

“A Rare tem este catálogo com 32 anos de legado e IPs, e embora eu não diria que fomos a Disney, a Nintendo, a Sega ou outro tipo de referência a longo prazo nesta indústria, as pessoas nos pedem para usar nossas coisas.”

Duncan também disse que para que isso ocorra, é necessário encontrar a equipe certa para que o projeto não seja comprometido ou passe pelo devido cuidado.

“Não está absolutamente fora da esfera da possibilidade, mas não apenas o ‘por que’ precisa estar certo, mas a equipe, e as pessoas, e o ‘quem’ precisam estar certos. A Rare é aguardiã das IPs da Rare”

O último grande lançamento da empresa foi Sea of Thieves. Atualmente, a empresa está trabalhando para oferecer a melhor experiência possível aos jogadores. Ele está disponível para Xbox One e PC.

Fonte: UOL Jogos / Trechos da entrevista retirados diretamente do site. Todos os direitos reservados ao UOL.