Morre aos 95, Stan Lee, um dos principais nomes dos quadrinhos

Stan Lee, um dos mais famosos e bem-sucedidos autores de histórias em quadrinhos da história, faleceu nesta segunda-feira (12), conforme informado pelo site TMZ. A informação foi confirmada pela filha do autor, que cedeu uma breve entrevista ao site.

Stan Lee foi levado de ambulância ao hospital Cedars-Sinai Medical Center na manhã desta segunda-feira (12), onde foi declarado como morto.
Há alguns anos o autor enfrentava constantes problemas de saúde.

Stan Lee nasceu em Nova York em 28 de dezembro de 1922. Ele foi um dos mais importantes autores de quadrinhos e um dos responsáveis pela criação de personagens icônicos da Marvel Comics, como Hulk, Homem-Aranha, Thor e os X-Men.

Lee começou sua carreira cedo. Aos 17 anos já era editor e escrevia suas histórias para revistas da época. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele serviu ao exército americano na parte de comunicações, onde escrevia manuais, slogans e até mesmo alguns filmes de treinamentos para soldados.
Após o final da guerra, Lee retornou para a editora Timely, que logo se tornaria a tão conhecida Marvel Comics. Ao lado Jack Kirby (um dos criadores de Capitão América em 1940), Lee criou personagens memoráveis para fazer frente à DC Comics, que na época, estava em seu auge com a Liga da Justiça da América, criando um quarteto distinto de personagens que ficaram conhecidos como Quarteto Fantástico.

Ao lado de Steve Ditko (falecido em junho deste ano), Lee criou um de seus principais personagens, O Homem-Aranha. Jack Kirby não participou do processo de criação por que Stan Lee queria um herói fora dos padrões, que não fosse musculoso e imponente, mas sim um adolescente, com problemas próximos de uma parcela de seu público. Kirby acabou não captando a essência do que o autor queria, mas Ditko sim.

A partir daí, Lee ficou conhecido por humanizar seus heróis, trazendo problemas do mundo real para o mundo dos quadrinhos, com heróis tendo que dividir suas responsabilidades de salvar o dia com seus problemas de casa, precisando pagar as contas em dias, ter dilemas sobre a vida e cometer erros.
Essa decisão de “humanizar” os heróis acabou rendendo excelentes frutos para a Marvel, que trouxe o mundo dos heróis para mais próximo de seus leitores.

Fonte: Bem Paraná / Omelete