Xbox exige remoção da marca por canais do grupo “Mil Grau”

Avatar

Nesta terça-feira (2), a Microsoft exigiu que sua marca fosse removida de todos os canais vinculados ao grupo Xbox Mil Grau.

Isso ocorreu após uma série de protestos por conta de declarações de cunho racistas postados em suas redes sociais. Em uma delas, postado por Henrique Martins, administrador do canal, em que colocava uma imagem com pessoas negras em protestos após a morte de George Floyd, asfixiado por um policial durante uma ação da polícia na cidade de Minneapolis, na última sexta-feira (29), ao lado de uma foto dos astronautas Bob Behken e Doug Hurley, que foram os protagonistas da missão Demo-2, da SpaceX, que foi lançada no mesmo dia.

Na postagem, a legenda de casa uma das fotos trazia os dizeres “O que pessoas negras estão fazendo hoje” e “o que pessoas brancas estão fazendo hoje“, seguida da legenda da postagem “Vai dar choro ou não?”.

A postagem gerou uma revolta coletiva, fazendo com que o perfil de Henrique Martins no Twitter ficasse suspenso temporariamente e retornando a atividade na sequência.

Os usuários do Twitter também trouxeram outras manifestações de cunho preconceituoso por parte da Xbox Mil Grau. Em um deles, é possível ouvir um dos participantes de uma transmissão ao vivo falar “tem que voltar pra senzala“, além de “nunca deveria ter deixado de ser escravo se é pra ser isso aí a cultura dos caras” em uma discussão sobre a cultura do funk.

A Twitch Brasil, plataforma de transmissões utilizada pelo grupo – e que possui um selo de verificação de conta -, também está sendo cobrada de se posicionar sobre o ocorrido, já que os comentários registrados em live ferem totalmente as regras da utilização.

Como medida, a empresa utilizou sua conta oficial no Twitter, pedindo que os usuários reportem as denúncias. Nenhuma declaração oficial foi dada até o momento da publicação desta matéria.

Na tarde desta terça-feira (3), o canal oficial da Xbox Mil Grau foi banido da plataforma por 14 dias.
Grandes figuras da indústria, como o próprio Phil Spencer, CEO da Xbox – contatado pela equipe do portal Critical Hits -, além do jornalista Jason Schreier (ex-Kotaku e Bloomberg), solicitaram detalhes do ocorrido. Abaixo, é possível ver a troca de mensagens entre o portal e o CEO da divisão Xbox: