Jurassic Park: O filme que revolucionou os efeitos especiais no cinema

Avatar

Imagine que você é um premiado cineasta, produtor cinematográfico e roteirista com um currículo invejável, sendo considerado por muitos como um dos cineastas mais influentes e revolucionários da história do cinema. Parece uma tarefa difícil, mas não pra Steven Spielberg.

O cineasta norte-americano é conhecido por ter produzido uma série de longas que marcaram a história da sétima arte e revolucionaram o cinema como conhecemos hoje. Entretanto, nem ele contava com a surpresa que receberia ao ver os efeitos especiais de Jurassic Park.

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros” foi lançado em 1993 e revolucionou a história do cinema devido ao uso de CGI (imagens geradas por computador), trazendo os dinossauros de volta à vida nas telonas do mundo inteiro de uma maneira nunca antes vista.

Se hoje em dia os filmes de ação, filmes de aventura e filmes de ficção que você assiste no cinema te deixam impressionado pelos efeitos especiais, tenha certeza de que os créditos vem do lançamento de Jurassic Park. Mas afinal de contas, como tudo começou?

“Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros”

Em 1993, Steven Spielberg já era um premiado cineasta. Em seu currículo havia filmes como Tubarão, Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida, E.T. – O Extraterrestre e Poltergeist, longas que o fizeram se tornar uma figura emblemática entre os filmes de ação, filmes de aventura, filmes de ficção e terror.

A grande consagração da sua carreira veio com a produção de “Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros“, um blockbuster que quebrou recordes e se tornou a maior bilheteria da história do cinema até o lançamento de Titanic, em 1997.

Jurassic Park contou com uma equipe de efeitos especiais altamente dedicada em levar para os cinemas as criaturas enrugadas mais icônicas da história do planeta: os dinossauros.

Stan Winston foi contratado por Spielberg para criar os dinossauros animatrônicos, Phil Tippett ficou responsável por criar dinossauros em go motion para long shots, Michael Lantieri ficou com a missão de supervisionar a interação desses elementos com atores e cenários, já Dennis Muren foi o escolhido para fazer a composição digital. Por fim, todo o trabalho foi supervisionado pelo paleontólogo Jack Horner.

O resultado final? Um filme que impressionou até mesmo seu diretor e levou pessoas de todas as idades para o cinema, marcando o ponto de partida de uma das maiores franquias cinematográficas da história e influenciando a produção de outras obras baseadas no uso de CGI, como Toy Story (1995), O Senhor dos Anéis (2001) e Avatar (2009).

Jurassic Park revolucionou o cinema e fez com que Steven Spielberg ultrapasse qualquer limitação dos gêneros de filmes de ação, filmes de aventura, filmes de ficção e terror, entrando para a história e memória afetiva de muitas pessoas!