Jogador cego ganha partidas de “Mortal Kombat” memorizando sons

Avatar

Um dos principais sentidos necessários para se jogar um jogo é, com toda a certeza, a visão. É difícil imaginar que seja possível jogar bem um game, tendo uma limitação visual.
Mas Michael Espinoza, cego de nascença, consegue superar os limites de sua visão utilizando apenas sua apurada noção de som.

Jogador desde os seis anos, Espinoza contou em entrevista ao site Vice News que começou a jogar com seus primos, na casa de seus avós, um Mega Drive. Depois, em seu aniversário de sete anos, seus pais o presentearam com um Playstation, onde ele começou a aprimorar sua percepção.

Espinoza conta que começou jogando alguns games de plataforma e de ação, como “Spyro, the Dragon“, “Crash Bandicoot” e “Grand Theft Auto” antes de cair de vez no mundo dos jogos de luta. Depois de muito tempo jogando “Street Fighter” e “SoulCalibur“, Espinoza se encontrou com “Mortal Kombat” – seu jogo favorito.

Um dos principais fatores que o ajudaram no processo de memorização de sons é que a navegação desse estilo de jogo é bastante limitada. Ele passou alguns anos treinando cerca de cinco a seis horas por dia, ouvindo cada detalhe sonoro do jogo, antes de começar a trabalhar com Tecnologia da Informação em uma empresa do seguimento.

Após esse longo período de aprendizado, diferenciando os tipos de sons usados nos mais variados socos, chutes, magias e, nas palavras de Espinoza, “todos os aspectos que faz um personagem vibrar, sonicamente falando“, ele resume que aprender um novo jogo ou treinar com um novo personagem é como aprender um novo instrumento musical.

Devido ao seu longo período de treinamento, hoje Espinoza consegue derrotar regularmente alguns adversários em partidas online.
Segundo ele, “vencer uma pessoa online quando você é cego é, provavelmente, uma das sensações mais gratificantes que já senti. Isso me faz sentir que minhas habilidades não precisam depender da percepção de outra pessoa sobre o que posso fazer“.

Fonte: UOL Jogos