Berserk – The Golden Age Arc (filmes) – Opinião

Avatar

Imagem
E ai galerinha Nerd, tudo bom com vocês?… Que bom!

Hoje eu to aqui pra dar ênfase a algo um pouco diferente. Recentemente, eu tive a oportunidade (graças a Santa Internet) de poder assistir aos filmes da saga Berserk.

Berserk é um mangá que já é publicado há muitos anos no Japão, na revista Shonen Jump. A obra é ideia de Kentaro Miura, e possui um alto grau de violência e toques filosóficos.

Bom, dada as apresentações básicas, vamos seguir o baile.

Os filmes contam o que chamada “A Era Dourada” da trama. Gatts, um mercenário que não tem qualquer amor a própria vida, se arrisca a todo instante, tentando achar um porque para sua existência. O que realmente fica um pouco em haver no primeiro filme, pois segunda trama do mangá, Gatts nasceu (ou foi “abortado”, como quiser) embaixo de uma árvore onde corpos eram enforcados. Ele é adotado por Gambino, que além de ser “pai”, é seu principal problema enquanto criança, pois Gatts era constantemente violentado tanto físico como sexualmente. Isso acaba em Gatts tendo seu primeiro contato com a morte, pois ele acaba matando Gambino e pesadelos acerca desse assassinato o perseguem durante sua juventude.

Todas essas informações são ausentes no filme. Sendo pouco esclarecidas no Anime original e muito bem trabalhadas no mangá (afinal, é a base pro resto).

Após uma “pequena” amostra de seu potencial, o general Griffith, líder do Bando do Falcão, fica impressionado com a capacidade de matar de Gatts, e acaba recrutando-o (de forma totalmente não-ortodoxa, mediante batalha um conta um).
Anos se passam e Gatts começa a entender o sentido de toda a ambição que Griffith possui. Griffith almeja se tornar rei de todo o continente de Midland, e não irá poupar esforços e sacrificar vidas para que isso aconteça. Inúmeras batalhas foram travadas dentro desse período e muitas glórias começaram a cercar o Bando do Falcão, que de um grupo de mercenários, tornou-se um grande exército.

Essa questão da ambição na verdade fica bem mais clara e evidente na luta entre Gatts e Griffith contra o demônio Nosferatu Zodd, o Imortal. Lendas acerca desse ser contam que ele aterroriza as terras de Midland à séculos, e que ninguém foi capaz de lhe provocar qualquer ferimento.
Mas o fato é que quando Gatts está tentando salvar Griffith da morte, e Zodd vê um estranho artefato pendurado no pescoço de Griffith, a seguinte frase é proferida:

“Se você é alguém que esse homem considera com um verdadeiro amigo, no momento em que suas ambições forem frustradas, a morte virá buscar você, uma morte certa da qual jamais poderá escapar!”

Gatts então é poupado e consegue salvar Griffith. E passado mais algum tempo, Griffith consegue um alto reconhecimento na aristocracia, e em um pequeno diálogo com a princesa Charlotte, diz que “Um verdadeiro amigo é uma pessoa que esteja no mesmo nível que o dele”. Gatts então não vê mais razões para lutar ao lado de Griffith, e segue seu próprio rumo.

Esse é claro que é um pequeno enredo, mas o que posso dizer dos filmes, é que Berserk é muito mais do que se pôde ver na telona. Sim, a animação é linda, com um sistema de animação que deixa a gente babando em frente a TV, mas sua história foi completamente picotada, e mesmo sendo uma obra dividida em 3 filmes (este último, com estréia no fim de Fevereiro no Japão), ficou completamente superficial em termos de história.

Recomendo a você que vai ver o filme: Veja antes o anime. Mesmo que você quando ver o filme já saberá a história, mas pelo menos você vai ter uma ideia do tipo de corte que foi realizado na saga. Cortes que eram essenciais na trama foram completamente deixados de lado, como o que citei do passado de Gatts e o porque dele ter a personalidade que tem.

Mas claro, o filme também tem pontos muito bons, como a própria volta da saga Berserk a mídia cinematográfica, já que praticamente, estava vivendo da publicação da Shonen Jump. A divulgação de Berserk nesse tipo de mídia acalora as discussões, e pode-se começar a cogitar a volta da série animada (que foi usada como uma espécie de promoção para que os fãs consumissem o mangá).
A animação, como citei, é realmente algo que enche os olhos, e trouxe uma tecnologia de movimentação semelhante a um motion-capture, que deixa as lutas muito mais bonitas e frenéticas.

Resta agora saber, como ficará o desfecho da trilogia. E esperamos que não pare por ai.