“Batman vs Superman” – Uma crítica à crítica

Avatar

Salve salve, Nerds!

Hoje, queria não escrever outra análise sobre “Batman VS Superman”. Até por que você pode conferir a nossa análise SEM SPOILERS AQUI.
Mas, após ter assistido o filme, e visto alguns argumentos um tanto estranhos na internet, eu resolvi debater sobre essa coisa de “fan-service” e quem de fato, é o alvo desse tipo de filme.

Primeiramente quero deixar claro que isso não se trata de uma argumentação sobre Marvel x DC Comics – onde alguns leitores podem acabar deduzindo por possíveis comparativos que possam surgir. Afinal, estamos falando da “onda de filmes de heróis”, e é inegável que você acaba chegando ao ponto de comparar as duas empresas em sua empreitada cinematográfica. Mas enfim, vamos nessa, que tem muita coisa pra falar.

Uma coisa que me chamou bastante a atenção, é como a mídia bateu na questão de fan-service. Pra quem não sabe, isso é uma técnica que traz vários elementos da mídia original, para aquela que está sendo adaptada (um bom exemplo disso, é quando lemos “300” e assistimos “300”, e notamos que vários enquadramentos de câmera na adaptação do cinema, são parecidas (ou iguais) a HQ).
E “BvS” não foge à regra. Temos que ter em mente que Zack Snyder (diretor), é o tipo do cara que gosta de manter a originalidade de alguns dos elementos da HQ em suas adaptações. E isso é ruim?!

É ai, que a mídia especializada, prova que não sabe o que os fãs querem.

Uma das mídias que mais sofrem com adaptações para o cinema, são os games. Isso por que, os fãs de jogos, não querem uma coisa criada. Um filme que carrega o fardo de um game, o peso de seu nome, deve manter-se fiel a sua obra original. E por muitas vezes, vemos um show de pirotecnia com palitos de fósforos em certas adaptações (certo, Super Mario Bros?!).

Snyder já trabalhou com outras adaptações de HQs para o cinema. Todas elas, muito bem executadas, e que sempre prezaram pelo respeito à obra original, e seus criadores. Snyder é um mestre quando se fala em trazer para o cinema, um público geral, e não apenas restrito àquela mídia que deu origem aos seus filmes.

Se você conhece a história original, e gostaria de ver uma adaptação para o cinema dela, quem disse que você está perdendo com isso?! Há grandes chances das coisas ficarem um pouco diferentes pois, você pode levar muito mais de duas horas para ler uma HQ – dependendo da densidade do autor, da quantidade de textos e outros inúmeros fatores -.

O filme em si, apresenta falhas de roteiro?! É claro! Como qualquer outro filme de heróis, onde você tem um curto período de tempo, para desenvolver uma história.
Quem ai não se lembra do roteiro de “Os Vingadores 2: A Era de Ultron”?! Tony Stark e Bruce Banner ficam deslumbrados ao descobrir uma forma de inteligência artificial com o cetro de Loki. Mas, ninguém nunca prestou a atenção ou resolveu trabalhar em uma atualização do J.A.R.V.I.S?! E Ultron?! Uma forma de vida sintética que se revolta com a humanidade por passar dez minutos na internet!
E olha que ele nem descobriu aqueles memes horríveis do Facebook, que só gente bem… err… “peculiar”, se presta em “indiretar” os outros.

Você pode analisar “Batman Vs Superman”, como um filme apressado, comparado com “Vingadores” ou qualquer outro filme que envolva o universo Marvel.
Para chegarmos em uma síntese comum em que todos os heróis se uniram (ou ainda se unirão), cada um deles teve o seu momento, com ganchos que já preparavam o expectador para isso.
Já no universo detetivesco de Snyder, tudo foi jogado na nossa cara, em duas horas e meia de um longa com altos e baixos.

Talvez se houvesse antes dessa união de forças de Batman, Superman e Mulher Maravilha, um longa para cada um dos antagonistas, chegaríamos preparados para um roteiro mais leve, com pontas mais atreladas em um sólido roteiro.

E o filme em si, é para quem, afinal?!

Se você for um amante dos super-heróis (sobretudo, de heróis da DC Comics), o filme tem um desenvolvimento muito bom, com muita ação e perguntas que ficam subentendidas que serão respondidas em outro momento (ou até mesmo em outros filmes, não é Esquadrão Suicída?!). Quem gosta deste universo, e não possui o fator “mimimi” de ficar criando conflitos de quem é melhor, Marvel ou DC Comics, e sim, é um amante de heróis, terá seu dinheiro muito bem investido em um filme que muito se esperou e correspondeu bem as expectativas.

Heróis nunca serão o forte da crítica. Ela que fique com seus “Spotlights” e “Pontes de Espiões”(e não, não que esteja falando que são filmes ruins. Mas são filmes com o objetivo de passarem uma crítica, para a crítica. Eles quase que tem o compromisso de serem sérios) para si. O que cria bilheteria, é a quantidade de pessoas que estão dispostas à pagar para ver um filme.

Se dependêssemos da crítica para tudo, certamente não faríamos nada. Sobretudo, ler isso que está escrito aqui, não é mesmo?!

Vejo que a melhor forma de expandir esse universo de heróis, é trazendo o que antes era restrito apenas aos leitores, para um público maior. Você não precisa conhecer ninguém. Não precisa ter lido tudo ou visto de tudo sobre a “Liga da Justiça” para entender o filme. Tudo será explicado (claro que de uma forma mais superficial), e você sairá com uma base.
Se for do interesse da pessoa, ela poderá optar por ir atrás daquela origem.

Mas, será isso mesmo que Hollywood quer?

Ficará essa questão no ar.

Mas de uma coisa, podemos ter certeza em ressaltar: Nunca houve tempo melhor, para se declarar um fã de super-heróis!