Bounty Battle (Playstation 4) – Review

Avatar

Super Smash Bros. Foi uma grande novidade na época de seu lançamento. O game trazia todos os personagens queridos da Nintendo caindo na porrada em divertidas partidas tanto jogando sozinho, mas mais ainda com os amigos. Outras empresas tentaram repetir a fórmula desse sucesso, como Playstation All-Star Battle Royale, onde os personagens que figuraram em títulos exclusivos do console da Sony saiam no tapa.

Mas e quando isso é transportado para o universo de jogos independentes? Essa é a premissa de Bounty Battle, título desenvolvido pela Dark Screen Games e distribuído pela Merge Games. Mas, será que ele foi capaz de sintetizar o que Smash Bros consegue proporcionar ao jogador e ainda trazer uma dose de inovação e criatividade, tipicamente vista em títulos desenvolvidos por estúdios e desenvolvedores independentes? É o que veremos no decorrer dessa análise.

O game inicia com uma bela introdução, onde vários personagens são “capturados” por uma força estranha, sendo raptados de seus respectivos universos para um lugar comum. Em primeiro instante, eu fiquei maravilhado por tamanha qualidade e foco em personagens como OwlBoy, O Penitente de Blasphemous e até mesmo o personagem principal de Dead Cells. Não fica explícito qual a intenção dessa entidade em unir todos esses personagens em um torneio de luta interdimensional, mas o que notamos aqui é uma falta de exploração quanto as inúmeras chances que o jogo tinha de desenvolver uma trama envolvente para justificar esse evento.

Ao iniciar o game, somos colocados em uma tela de menu que em primeiros instantes, me pareceu bastante confusa, pois normalmente em jogos de luta, somos transportados direto para se queremos iniciar um novo jogo em modo torneio ou carreira. Mas não, o menu traz uma pouquíssima variedade de informação, e contamos apenas com o modo tutorial – no qual nos é apresentado os comandos básicos do jogo; o modo torneio, no qual teremos um trajeto até derrotarmos o chefe final; o modo desafio, trazendo uma série de objetivos que devem ser concluídos para liberar algumas coisas dentro do game e o modo campo de treino, onde você poderá praticar suas estratégias de combate sem qualquer risco.

Bounty Battle traz uma grande variedade de personagens de jogos indie – Imagem: Divulgação

Obviamente, o jogo traz o modo versus que consiste no combate de até quatro jogadores ou bots. E é aqui que o game apresenta um dos principais problemas: ele não traz qualquer possibilidade de jogar online com amigos, oferecendo apenas um modo contra local.  Além disso, o combate parece não oferecer risco algum. Logo mais, quando falarei mais sobre os comandos, explico melhor o que eu quero dizer com isso.

O ritmo de gameplay aqui é extremamente maçante e repetitivo, já que para aqueles que forem se aventurar sozinhos, terão pouco conteúdo para se divertir, recorrendo a cumprir desafios que consistem em arremessar oponentes para fora da arena, derrotar inimigos de alguma maneira específica ou simplesmente derrotar o inimigo. Esse mesmo looping ocorre no modo torneio. Mas o que talvez um dos fatores mais prejudiciais para o jogo é que diferente de outros games de luta o smash-like, você não tem qualquer estímulo de resposta ao atingir o seu oponente. Note que em qualquer jogo que siga este estilo, o peso dos seus golpes em um oponente indica que você acertou o golpe ou que ele foi defendido, lhe dando um estímulo imediato para saber como devemos agir em contrarresposta ou qual estratégia tomar.

Mas aqui não. Bounty Battle não oferece nenhum estímulo ao jogador, fazendo com que ele se torne um esmaga-botão qualquer, não oferecendo nenhum senso de perigo ou resposta ao jogador de que aquilo está sendo efetivo ou não. O trabalho que o jogador tem aqui é de apenas checar se a barra de vida do seu oponente está descendo até zerá-la e vencer o combate.

Com personagens bastante carismáticos, game peca em aspectos de gameplay – Imagem: Divulgação

Os controles respondem bem, mas o próprio tutorial nos ensina uma série de comandos que, se jogado de forma single player, serão usados com pouca frequência ou até mesmo nenhuma. Aqui nos podemos atacar de forma padrão, além de contar com um botão para ataques mais fortes, um ataque especial, pressionando o botão de golpe forte e para cima, além de pular, rolar, fazer pulo duplo, desviar no salto e agarrar nosso oponente para empurrá-lo da arena.

É nesse ponto, que eu queria explanar melhor a questão do senso de perigo: Bounty Battle é um jogo de luta que faz de você, como um jogador solitário, um vencedor. Mesmo em desafios em que você precisa arremessar seu adversário da plataforma, isso é feito de uma maneira simplista e que não há reação dos bots que foram postos ali para combatê-lo.

Jogadores experientes e que já se enfrentaram em Super Smash Bros certamente sentem o perigo de forma iminente, onde cada golpe bem desferido pode acarretar sua vitória, mas qualquer deslize, salto mal planejado ou até mesmo nível de porcentagem alta, poderá ser sua derrota. Nada disso existe aqui.

Com uma proposta promissora, game traz um grande elenco. – Imagem: Divulgação

Os gráficos são bem medianos e as animações dos personagens parecem imagens recortadas e animadas. Os cenários são bem apagados e não trazem nada de memorável.

A trilha sonora é bem pouco inspirada e completamente genérica, parecendo algum tipo de trilha comprada de um banco de dados apenas para preencher um vazio pré-existente dentro do jogo, não oferecendo qualquer sensação de um inimigo mais poderoso ou algum tipo de animação durante o combate.

Com uma ótima premissa, Bounty Battle desperdiça essa oportunidade de colocar toda a inovação tipicamente visível em títulos independentes em um jogo repetitivo, pouco inspirado e que  carece de otimizações simples como uma trilha sonora interessante, arenas que remetam mais aos personagens no qual ele se apropria e um gameplay mais prazeroso e com opções mais atrativas ao jogador. Ele pode ser sim, um excelente título para se jogar em turma, mas a sua diversão certamente proverá mais de suas falhas, do que de seus (poucos) acertos.

Esta cópia de Bounty Battle foi gentilmente cedida para Playstation 4 pela Merge Games para a confecção desta análise.